domingo, 28 de setembro de 2008

A Defesa do Poeta

Ainda com as reminiscências da Poemática, posto esse excerto dessa coisa "felomenal" que recitei na ocasião:


"Senhores sou um poeta
um multipétalo uivo, um defeito
e ando com uma camisa de vento
ao contrário do esqueleto
Sou um instantâneo
Das coisas apanhadas
Em delito de paixão
Sou uma impudência a mesa posta
de um verso onde o possa escrever
ó subalimentados do sonho
a poesia é para comer!"

-Trecho do texto A Defesa do Poeta, de Natália Corrêa




Eu falando o texto acima.

4 Comments:

Taiguara said...

bom que a Poemática deu certo, né?

e fo mt legal vc recitando!

josé agapanto said...

oi matheus, que legal que você tenha gostado da nossa apresentação, e por falar nisso, esse poema que você postou e parece ter recitado, já esteve no nosso roteiro. Quando tivermos nova apresentação anunciaremos no blog, um abraço.

Hudson Pereira said...

Eu me alimento bem todos os dias.

;)

Bárbara Araújo Machado. said...

Esse poema é demais.

E não consigo não ler te ouvindo falar.

Aliás, desde a poemática esse último verso ficou preso na minha cabeça! !A Poesia (pausa) É PRA COMER!"

haha, demais, cara.